2007-10-10

Dias 7/8

Dia 7
O hoje foi ontem, hoje…
Ontem fui desperto por uma voz que mecanicamente dizia:
- “É hora de acordar.”
Semi-acordado esfreguei os olhos e vi que o mundo já era aquilo que era.
Hoje que é ontem tudo é mecânico. Toda a família e amigos se tornaram máquinas devoradoras de pequenos parafusos e pedaços de metal e alumínio. A sua bebida preferida é óleo lubrificante (, pelo menos foi o que me disseram).
Que se passa aqui? – penso eu enquanto me levanto e dirijo à casa de banho.
Ao ver o meu reflexo conoto que eu próprio sou uma máquina….
Uma máquina?! Como é possível?
Como é que nesta noite me tornaram um ser robótico assim como a todos que me rodeiam?
Não sei, mas que me tornaram num (belo e) desprezível robot lá isso tornaram. A minha cor era do bronze, os meus olhos eram objectivas que se auto-focavam. O meu corpo era uma amálgama de latas velhas e parafusos que as uniam em dobradiças enferrujadas.
Senti-me velho, tão velho…
Um velho robot…
“É hora de acordar…”
“É hora de acordar…”
Dia 7.1:
Acordei hoje…
Hoje é ontem…
Esfrego fortemente os olhos, levanto-me e vou à casa de banho…
Vejo-me no espelho e sou só Eu…
O Ego
Não sou uma máquina, nem algo parecido…
Sou apenas um homem…
Sinto-me velho… Muito velho e doente… Tenho 109 anos, parece que toda a vida se esvai dos meus vasos sanguíneos e só eu sei…todos pensam que viverão/viverei eternamente…
Dia 7.2:
Há momentos em que sou a pessoa mais apática do Universo. Ontem não era desses dias…
Há momentos em que sou a pessoa mais excitada do Universo. Hoje não é desses dias…
Era apenas eu a vaguear pelas ruas paralelas com as máquinas dos homens. Tantas…
São tantas e nós nem vimos. Estão em todo o lado. Toco-lhes, cheiro-as, vejo-as…
Passam e passo sem parar. Nós somos elas e elas são homens. Somos ciborgues…
Homem +Máquina numa relação mutualista…
Fugi delas mas elas apanharam-me…

Ontem foi hoje…

Dia 8:
Está tudo na cabeça…
Três vezes três igual a treze horas vinte minutos menos segundos. Que importam as horas?
Por que motivo nos guiamos por elas? As horas são reais?
Mais um modo de me controlar e saber que naquele momento preciso devo desempenhar uma acção programada.
Nunca gostei de programar o meu tempo.
Nunca conseguirei gostar de ter algo que me está “destinado” a fazer…
Assim passam os dias dos “predestinados” conceito por nós criado…
Dia 8.1:
Todo o dia está escrito embora não tenha utilizado a agenda… nunca precisei…
Nunca (ou raramente) me esqueço do que fazer, apenas do que fiz…
Este diário do Ego é o meu livro de memórias. Perguntaram-me porque me chamo Ego. Hoje sou eu que me pergunto…
O meu dia está planeado, está “predestinado”.
Posso impedi-lo de acontecer? Ou estava “destinada” também essa alteração de planos?
Por que me chamaram Ego?
Foi acaso ou tinha de ser assim? Certamente havia mais escolhas! Eu podia ser Tu…
Não são apenas conceitos. Palavras também “predefinidas” para isso… Poderemos nós chamar azul ao vermelho?
Eu quero que o vermelho se chame azul=encarnado.
Se o vermelho fosse mesmo vermelho por que é também chamado de encarnado?
Por que é denominado rouge ou red?
E se estes termos apelidam conceitos porquê tantas variações da mesma cor?
Dia 8.2:
Inebriação…
Esta confusão está a atormentar-me por isso vou recorrer ao meu refúgio…o mesmo do costume…sem espaço ou tempo…
Só, com hábeis métodos de fuga tão secretos quanto o tudo e o nada…
Dia 8.3:
Pessoas e mais pessoas com(o) animais sedentos de sexo. O discurso agrava a tendência massificada. São os líquidos e o fumo que o proporcionam…
Eu, só, fico aqui perdido no meio da multidão rindo interiormente das situações…
E este dia estava “predestinado”.

1 comentário:

Marisa disse...

como um veneno que corrói, sim, somos escravos do "tempo", aquele que termina e começa com o som do tic tac.
tantas vezes nos rouba a "vida" e nos dá a "morte". mas mesmo assim, por muito pesados que sejam esses ponteiros, nós ainda somos da casta previligiada em relação á liberdade...
... é um insulto para muito nós menosprezarmos a liberdade com que nascemos... a expressão, a acção, a atitude, as oportunidades, a escolha... enfim... a mera segurança para caminharmos livres na rua!!!!!!!!!

usa-la... não a negligenciar mesmo que não seja plena!

http://olhares.aeiou.pt/passagem/foto1033595.html